quinta-feira, 30 de junho de 2011

Quando Chico Buarque pedia votos para FHC

Via blog do Noblat
30.06.2011






Na homenagem que o PSDB lhe presta, desde às 10h de hoje, em uma das dependências do Senado, por seus 80 anos de idade, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está sendo reapresentado a jingles de suas campanhas políticas. Uma delas foi para a prefeitura de São Paulo em 1985, quando FHC acabou derrotado por Jânio Quadros, o ex-presidente da República que em 1961 renunciou ao cargo antes de completar um ano nele. A estrela do jingle é Chico Buarque de Holanda, que compôs a música e a cantou.


***


Leia também:

Aos 80 anos, FHC recebe homenagens em Brasília




Sigilo para incompetência?

Via Estadão
Por Rolf Kuntz
29.06.2011


O Ministério da Saúde adverte: informação pode causar preocupações e deixar os cidadãos mais tensos. O governo poderia recomendar a difusão desse aviso em todos os meios de comunicação. É seu melhor argumento a favor do sigilo dos orçamentos da Copa 2014 e de quaisquer outros documentos oficiais. Os demais argumentos, como o da prevenção de fraudes em licitações, são na melhor hipótese engraçados e até servem para alegrar o ambiente. A inquietação da presidente Dilma Rousseff e de seus companheiros seria especialmente compreensível no caso das obras da Copa. As últimas informações têm representado grave ameaça ao estado de espírito dos leitores. Dois bons exemplos tiveram destaque no site da organização Contas Abertas, em menos de sete dias.

Primeiro: os valores estimados para as despesas com a Copa aumentaram muito desde a apresentação da candidatura brasileira, em 2007. O custo apontado para a reformas e construções de estádios saltou de R$ 2,1 bilhões para cerca de R$ 7 bilhões e ainda faltam três anos para os jogos. Durante o percurso já havia ocorrido um aumento – para R$ 4,3 bilhões. O site resumiu as conclusões de um levantamento realizado por Alexandre Sidnei Guimarães, consultor legislativo do Senado.

Impossível, segundo o autor do trabalho, determinar se a mudança de valores indica uma passagem de subestimação para superfaturamento. Impossível saber, argumenta o consultor, porque faltam informações suficientes sobre as condições das obras e sobre os custos associados às condições impostas pela Fifa. São bons motivos, de acordo com ele, para os contribuintes se mobilizarem na defesa de maior transparência e de mais intensa fiscalização do andamento das obras. Continua


***


Leia também:
- Fifa reage à perda de superpoderes
- Conselho de Ética arquiva processo contra Bolsonaro
- Filho de Bolsonaro no twitter: ‘CHuUuuupa Viadada’
- Hacker violou e-mail de Dilma e tentou vender textos

quarta-feira, 29 de junho de 2011

No twitter da Rita Lee:






twitter da Lita Ree




Calcio y vitamina D, un cóctel contra el melanoma / La obesidad también mata antes de tiempo / Madres deprimidas, ¿hijos antisociales?

No El Mundo:





Calcio y vitamina D, un cóctel contra el melanoma


La obesidad también mata antes de tiempo


Madres deprimidas, ¿hijos antisociales?



A politização do consumo

Via blog do Noblat
Por Joaquim Falcão
28.06.2011

A ideia é aparentemente simples. Está se disseminando, como protesto democratizante, rapidamente por quase toda a Europa. É prima irmã dos protestos pela democracia nos estados árabes. Se como eleitor, o cidadão europeu não consegue mudar a política econômica, talvez como consumidor possa. Na Espanha, por exemplo, esta nova politização do consumo começa a ser testada. Ainda sem muito êxito.

Imaginem se num determinado dia milhões de pessoas resolvessem todos sacar de sua conta bancaria 100 reais. O sistema bancário começaria a ficar preocupado. Se milhões de consumidores resolvessem de tempos em tempos passar três dias sem usar cartão de crédito.

A semente na nova politização é justamente esta: imaginar novas formas de ação política além do voto. Não mais o eleitor, mas o consumidor.

O terreno fértil para esta politização não é a crise do sistema de aposentadoria, tornando-a mais difícil e com menores pensões. É, sobretudo, o alarmante desemprego do jovem.

Na Inglaterra o desemprego juvenil é de 20,5%. Na França, de 22,8%. Subindo para 27,8% em Portugal, 29,8% na Itália, chegando aos 37,3% na Grécia. Sem falar na Espanha também na casa de mais de 20%.

Se o jovem é o futuro, os jovens europeus não estão conseguindo construir nem os seus nem o de seus países. Continua

INSS vai cobrar de motorista que causar acidente

Via Estadão
Por Edna Simão / BRASÍLIA
28.06.2011


Em caso de prova de responsabilidade, governo vai cobrar de motoristas valores pagos às vítimas


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai cobrar dos motoristas que provocaram acidentes de trânsito os benefícios previdenciários pagos às vítimas que tiverem de se afastar do trabalho. Segundo o procurador-geral do INSS, Alessandro Stefanutto, o órgão já está investigando alguns casos e, se for comprovado o dolo, entrará com ações regressivas na Justiça para pedir ressarcimento dos valores pagos.

Por exemplo: se um motorista bebeu e atropelou uma pessoa e a vítima ficou afastada do trabalho por mais de 15 dias, o INSS poderá processar quem provocou o acidente e cobrar o valor gasto pela Previdência Social. "Quando ocorrer um ato doloso, se for possível, vamos tentar receber o recurso de volta. A sociedade não tem de arcar com isso", afirmou Stefanutto ao Estado. Ele explicou que essa conduta já é adotada pelas seguradoras. "Se uma pessoa bebeu e bateu o carro, o seguro não cobre nada." Essa não é a primeira vez que o instituto entra com ação regressiva para exigir ressarcimento aos cofres públicos.

Numa primeira ofensiva, foram movidas ações contra empresas com elevados índices de acidente de trabalho. No total, foram ajuizadas 1,3 mil ações, e o INSS conseguiu procedência em 95% dos casos. Continua

***

Leia também:
- Gravações apontam looby de dr. Hélio com marqueteiro de Dilma
- Jobim enfeita biografia de Dilma com um ‘historicídio’
- Governo pretende elevar tempo de contribuição de mulheres

Mulheres: 47% já sofreu violência doméstica, diz pesquisa

Via blog do Noblat
29.06.2011


Jaqueline Falcão, O Globo

Em pesquisa sobre violência doméstica, divulgada [ontem], pelo Instituto Avon e pela Ipsos, revela que 47% das mulheres confessaram que já foram agredidas fisicamente dentro de casa. O levantamento "Percepções sobre a Violência Doméstica contra a Mulher no Brasil" revelou ainda que, na região Centro-Oeste do país, o medo de ser morta é o principal motivo das mulheres agredidas não abandonarem os seus agressores. O motivo foi apontado por 21% das entrevistadas na região.

Nos estados do Sudeste, o medo de ser morta caso rompa a relação chega a 15%. No Sul, 16%. O Nordeste tem o menor índice: 13%. O estudo também mostrou que o alcoolismo e o ciúme são os principais motivos da agressão à mulher.

- É uma vergonha a mulher não sair de casa porque podem ser mortas. Ciúme não é paixão. É algo mais complexo. O homem acha que tem posse da mulher. E a sociedade machista é um problema porque acha que a mulher não tem direito à autoestima e nem pode falar, se manifestar - comenta a socióloga Fátima Jordão, conselheira do Instituto Patrícia Galvão, Ong que defende os direitos da mulher.

Leia mais em Pesquisa revela que quase metade das mulheres já sofreu violência doméstica


terça-feira, 28 de junho de 2011

A cura através das lembranças

Via Jornal da USP
26.06.2011




DEPRESSÃO

Com o uso de cartas e fotografias que estimulam as reminiscências, tese de doutorado consegue melhora significativa dos sintomas depressivos em idosos

IZABEL LEÃO

Cartas, fotografias e lembranças foram trabalhadas com um grupo de seis idosos, que também eram convidados a trazer outros objetos de qualquer natureza que pudesse reconstituir lembranças. O trabalho foi feito pela pesquisadora Claudia Aranha Gil e apresentado como tese de doutorado no Instituto de Psicologia da USP.
Ao final da oficina psicoterapêutica, a observação clínica, os relatos individuais e os resultados descritos pelos instrumentos utilizados (inventário de qualidade de vida e inventário de depressão) demonstraram significativa melhora dos sintomas depressivos apresentados inicialmente e, de modo geral, melhora da qualidade de vida de todos os que concluíram a participação no grupo. “Também percebemos nos participantes maior abertura para o mundo e mais proximidade de si mesmos e de seus sentimentos”, diz a pesquisadora.
A utilização de fotografias e objetos facilitou a recordação das lembranças e a expressão das emoções dos participantes. A pesquisadora diz que, a partir dos relatos, notou que, ao materializar as recordações através das fotos – não necessariamente somente ligadas a perdas –, permitiu aos idosos o acesso às suas reminiscências. “Durante o processo da oficina, gradualmente foi se estabelecendo um modo de recordar mais saudável, aumentando a capacidade de valorizar os ganhos e a reafirmação da autoestima dos participantes”, reflete Claudia Gil. Continua
   


Exército egípcio fez teste de virgindade em manifestantes

Via blog do Noblat
28.06.2011

O Globo

O secretário-geral da Anistia Internacional, Salil Shetty, disse [ontem] que militares do Egito reconheceram realizar os chamados "testes de virgindade" em manifestantes do sexo feminino. O Major General Abdel Fattah al-Sisi, membro do conselho militar que governa o Egito desde a renúncia do presidente Hosni Mubarak, justificou para a ONG que os testes eram uma maneira de proteger o Exército contra alegações de estupro.

Defensores dos direitos dizem que al-Sisi prometeu que os militares não devem realizar esses testes novamente.

Denúncias sobre os testes de virgindade começaram a aparecer após um grande confronto na Praça Tahrir, no Cairo, em 9 de março, quando homens à paisana atacaram manifestantes e o Exército teve que intervir para parar o conflito. A Anistia achou 18 mulheres que alegam terem sido forçadas a fazer o teste.

- Submeter as mulheres a esse procedimento tão humilhante esperando mostrar que elas não teriam sido estupradas na prisão não faz sentido, e não foi nada menos do que tortura. O governo deve dar uma indenização a essas vítimas, incluindo suporte psicológico e médico, e pedir desculpas pelo tratamento dado a elas - defende Shetty, que foi a um encontro com o grupo.

Leia mais em Militares do Egito admitem ter feito 'testes de virgindade' em manifestantes


Competitividade na escola é criticada

JC e-mail 4287, de 27 de Junho de 2011.

Competitividade na escola é criticada



Ambiente escolar voltado apenas para resultado de vestibular desestimula aprendizado, defende educadora em artigo na 'Science'.

Um ambiente escolar extremamente competitivo - e voltado para testes de ingresso na universidade - está prejudicando a vida de muita gente. O diagnóstico não partiu de educadores indulgentes ou de adolescentes preguiçosos: mereceu um editorial da prestigiosa revista Science, publicação da Associação Americana para o Avanço da Ciência.

A autora, Deborah Stipek, da Faculdade de Educação da Universidade Stanford, em Palo Alto, na Califórnia, estuda a motivação dos jovens no ambiente escolar há 35 anos. Na terça-feira passada, em uma entrevista, ela recordou o dia em que a sua filha chegou em casa, comemorando: "Nunca mais vou estudar francês." A garota tinha acabado de fazer uma prova que a auxiliaria a concorrer a uma vaga no sistema de ensino superior americano. "Ficou claro que não estava interessada em dialogar com outras culturas, em viajar ou em adquirir uma habilidade útil para a vida", pondera Deborah.

Para a pesquisadora de Stanford, os jovens são treinados para obter um excelente desempenho em testes de múltipla escolha. Também são animados a enfeitar seu incipiente currículo com atividades esportivas ou cívicas que rendam um perfil atraente aos olhos das principais universidades dos Estados Unidos, como Harvard, Colúmbia, a própria Stanford. Nada contra o desempenho extraordinário nos exames ou contra atividades fora das quatro paredes da sala de aula. Mas Deborah aponta que há algo de aberrante na educação focada em resultados mensuráveis, currículos e rankings.

Segundo ela, em nome da eficácia administrativa da preparação para os exames, sufocam-se, por exemplo, a alegria do aprendizado, uma visão construtiva dos próprios erros e a formação de uma personalidade madura e equilibrada. Continua

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Diga aí, Cabral!

Via blog do Noblat
27.06.2011


COMENTÁRIO

Governador Sérgio Cabral: minha solidariedade. Fora a perda de um filho, nada dói mais do que ver um filho sofrer. Tenho um que perdeu a namorada em acidente de carro. E foi ele quem encontrou o corpo.

O senhor fez bem em licenciar-se do cargo para ficar ao lado do seu filho. Pezão, o vice, dá conta do recado. É eficiente. Está acostumado.

Só não escale Pezão para responder perguntas que apenas ao senhor cabe responder. Não são poucas. E estão na boca das pessoas que ainda se preocupam com as parcerias público-privadas entre políticos, seus amigos e benfeitores.

Sou do tempo em que os políticos escondiam amantes, tesoureiros de campanha e empresários do peito.

Amantes ainda são mantidas à sombra – embora algumas delas, de um tempo para cá, tenham protagonizado barulhentos escândalos. Outras morrem sem abrir o bico.

Tesoureiros? Esses se expõem ao sol sem o menor pudor. São reconhecidos em toda parte. E fingem que abdicaram de cometer antigos pecados. Pois sim! Acredite...

Quanto a empresários do peito... Liberou geral.

Direto ao ponto: por que o senhor viajou a Porto Seguro, acompanhado de parentes, em jatinho cedido por Eike Batista, dono de muitos negócios que dependem do interesse ou da boa vontade do governo do Rio de Janeiro?

Foi o senhor que pediu o jatinho emprestado? Foi Eike quem ofereceu? Se ele ofereceu como soube que o senhor precisava de um?

Há vôos comerciais diários para Porto Seguro. Por que não embarcou em um deles pagando do próprio bolso a sua passagem e as de seus familiares?

O jato de Eike decolou com o senhor do aeroporto Santos Dumont às 17h da última sexta-feira dia 17. O vôo 3917 da TAM decolou antes – às 10h15. Nele, o senhor teria chegado ao seu destino às 14h16.

Não considera indecoroso viajar a custa de um empresário que em 2010 doou para sua campanha R$ 750 mil? Um empresário beneficiado por isenções concedidas por seu governo? Continua


Altamira, PA: Belo Monte e os conflitos anunciados

Via Eco Debate
27.06.2011


Situação em Altamira tende a se acentuar com a chegada de um grande número de pessoas e o êxodo de moradores que serão desalojados por Belo Monte

Nem mesmo a hidrelétrica de Belo Monte ensaia sair do papel, já começaram os conflitos na região de Altamira, no Pará. Previsto desde as discussões iniciais sobre o projeto, os problemas imobiliários se alastram por toda parte. Dezenas de famílias já estão desalojadas. Elas são oriundas de áreas conhecidas como baixões, que serão alagados pela usina. Outras tantas estão a caminho da cidade sob a promessa de que lá encontrão mais oportunidades de trabalho e melhor qualidade de vida.

O medo do possível alagamento e a incerteza em relação às indenizações prometidas pelo governo federal e pelo consórcio Norte Energia – responsável pela obra -, tem provocado a mudança de dezenas dessas famílias para terrenos que ficam às margens de Altamira, ou mesmo para a própria cidade, onde a especulação imobiliária e a procura por casas têm elevado de forma vertiginosa o preço dos aluguéis.

Para Éden Magalhães, secretário executivo do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), há uma forte pressão sobre as comunidades da periferia de Altamira. “Os moradores não sabem até hoje para onde irão quando da desocupação de suas terras. Sabem somente que a região será alagada pelo lago da usina. Nem o governo nem a Norte Energia esclarecem para onde serão deslocados”.

Em fuga dos eminentes perigos que a obra já os traz, esses moradores têm sido vítimas das mais sórdidas artimanhas. Os que ocuparam terrenos em Altamira estão, violentamente, sendo retirados dos locais, sob a alegação de que se trata de áreas particulares, ou até mesmo pertencentes à Eletronorte, como no caso das 90 famílias que foram obrigadas a desocupar um terreno, no início da semana, pela Polícia Militar.

Em outros casos, famílias estão sendo ameaçadas e até coagidas a deixarem suas propriedades. O clima na região já é tenso e tende a se agravar ainda mais com a criação de uma população de sem tetos na região, oriunda de desalojados e homens e mulheres em busca de uma vida melhor. Continua

Endividamento do brasileiro é recorde

Via Estadão
Por Márcia De Chiara
26.06.2011

Dívida total do consumidor atingiu R$ 653 bilhões em abril e equivale a 40% da massa anual de rendimentos do trabalho e da Previdência

SÃO PAULO - O endividamento do brasileiro atingiu nível recorde. A dívida total das famílias no cartão de crédito, cheque especial, financiamento bancário, crédito consignado, crédito para compra de veículos e imóveis, incluindo recursos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), corresponde a 40% da massa anual de rendimentos do trabalho e dos benefícios pagos pela Previdência Social no País, aponta um estudo da LCA Consultores ao qual o ‘Estado’ teve acesso.

Se, do dia para noite, os bancos e as financeiras decidissem cobrar a dívida total das pessoas físicas, isto é, juros e o empréstimo principal, que chegou a R$ 653 bilhões em abril, cada brasileiro teria de entregar o equivalente a 4,8 meses de rendimento para zerar as pendências. Os cálculos levam em conta a estimativa da massa de rendimentos nacional, não apenas nas seis regiões metropolitanas.

Em dezembro de 2009, a dívida das famílias estava em R$ 485 bilhões, subiu para R$ 524 bilhões em abril do ano passado e, em abril deste ano atingiu R$ 653 bilhões. Apesar dos ganhos de renda registrados nesse período, as dívidas abocanharam uma parcela cada vez maior dos rendimentos da população. Quase um ano e meio atrás, a dívida equivalia a 35% da renda anual ou 4,2 meses de rendimento. Em abril deste ano, subiu para 40% da renda ou 4,8 meses de rendimento.

"Houve uma forte aceleração do endividamento", afirma o economista Wermeson França, responsável pelo estudo. Ele observa que uma conjugação favorável de fatores levou à disparada do endividamento do consumidor. O pano de fundo foi o crescimento econômico registrado no ano passado, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 7,5%. Além disso, bancos e financeiras abriram as torneiras do crédito, com juros menores e prazos a perder de vista. Continua


Leia também:
- Organização estima em 4 milhões público da Parada Gay de SP
- Brasileiros foram os mais barrados nas fronteiras aéreas da UE
- Multinacionais adotam estratégias para suprir falta de profissionais no Brasil, diz jornal


sábado, 25 de junho de 2011

Impossível guardar segredo

Via blog do Noblat
Zuenir Ventura, O Globo
25.06.2011


Antes, foi o Wikileaks, que mostrou como era possível revelar documentos confidenciais que se acreditavam secretos, vazados de governos ou empresas. Agora, são os hackers de um certo grupo autodenominado Lulz Security, que estão promovendo uma espécie de terrorismo virtual. Depois de atacarem servidores da CIA, FBI, Sony e das tevês Fox e PBS, passaram a praticar atentados entre nós por meio de uma inédita avalanche de acessos — só em uma madrugada houve mais de dois bilhões, sendo 300 mil ao mesmo tempo.

Utilizando o seu braço nacional LulzSecBrazil, invadiram sites como o da Presidência da República, Petrobras, Receita Federal, Portal Brasil, Secretaria de Comunicação, Ministério dos Esportes, Senado, IBGE, além de postarem em uma rede social link com supostos dados pessoais da presidente Dilma Rousseff e do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que reagiu assim: "Quero manifestar publicamente minha indignação. Isso mostra o quanto é necessário investir em tecnologia para blindar nosso mundo digital."

Realmente, por mais que autoridades procurem tranquilizar a população afirmando que não chegou a haver violação de dados e que não há perigo disso, os cyberataques tornaram evidente a vulnerabilidade dos sistemas de segurança da Web e a impossibilidade de se guardar segredos, seja no plano institucional, seja no pessoal.

Vivemos de fato num mundo definitivamente escancarado, menos pelo saudável desejo de transparência e mais pelo gosto de fuçar o escondido, de espiar pelo buraco da fechadura (não esquecendo o Big Brother de "1984", de George Orwell, primeiro a decretar o fim da privacidade).

Por isso é que se trata de um atentado à memória nacional essa história de "sigilo eterno" para documentos públicos secretos — além de inútil. Será que os senadores Fernando Collor e José Sarney, principais defensores da ideia (Dilma já foi contra, depois a favor, agora de novo contra), acreditam na possibilidade de segredo para sempre? Será que acham mesmo que um mau passo dado no passado ou uma zona de sombra encoberta podem ser escondidos ad infinitum? Nunca ouviram falar em retorno do recalcado, isto é, a volta com mais força do que se tentou soterrar? Pode até demorar, assim como foram precisos mais de cem anos para se descobrir que o homem do famoso autorretrato da "orelha cortada" não era Van Gogh, mas seu irmão Theo. Custa, mas se descobre.

Guardar documento confidencial em um arquivo equivale a confiar segredo pessoal a um amigo. Como advertiu Mário Quintana no "Poema da discrição":

"Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem
E o amigo do teu amigo
Possui amigos também."


Chiquinha Gonzaga

No Instituto Moreira Salles:




AQUI!



Vínculos sociais influenciam condições de vida em favelas

Via Agência USP de Notícias
Por Valéria Dias - valdias@usp.br
21.06.2011


Contraste entre o setor 'mais pobre' (esq)
e o 'mais rico' (dir) da favela
Vínculos sociais, como relações com vizinhos, amigos, família, entidades assistenciais, e acesso a serviços públicos, como creches e escolas e até a convivência em ambientes universitários são determinantes para famílias que moram em favelas terem mais possibilidades de alcançar melhores condições de vida. “Quanto mais rico for o universo relacional do morador da favela, maior será a chance de ele melhorar suas condições de vida”, destaca a jornalista e cientista social Maria Encarnación Moya Recio, que estudou o tema em seu doutorado na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Maria Encarnación conta que a ideia da pesquisa surgiu ao participar de um projeto sobre pobreza urbana coordenada pelo professor Lúcio Kowarick, da FFLCH, quando acompanhou, durante um tempo, famílias moradoras de comunidades pobres. “Eu queria entender como e por que algumas tinham melhorado de vida e outras permaneciam em situações crônicas de pobreza”, explica a pesquisadora, que também estudou o tema no mestrado. A tese foi defendida em agosto de 2010 sob orientação do professor Eduardo Cesar Leão Marques. Continua


Rio de Janeiro gosto de você...

Via blog do Noblat
Por Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa
24.06.2011


Gosto de quem gosta deste céu deste mar desta gente feliz...*
Bem que eu também queria escrever um poema de amor para esta cidade onde, como diz outro poeta, “o poente na espinha das tuas montanhas quase arromba a retina de quem vê” **.
Não sei se o mesmo acontece com alguns de vocês, mas marco as cidades que amo com músicas. Bastam os primeiros acordes e vejo a cidade, sinto suas ruas, a saudade me derruba.
São poucas as que provocam em mim tal sentimento. Falo de amor e para amar uma cidade como amo o Rio é preciso viver nela, dela fazer parte, ter a vida entretecida com suas ruas e bairros, conhecer seus segredos e suas manhas.
Foi aqui que aprendi a viver: desde as primeiras letras ao primeiro beijo, desde o primeiro amigo ao primeiro amor, desde as mais estraçalhantes dores até as mais profundas alegrias, aqui estão plantadas minhas recordações – como sempre com uma exceção para confirmar a regra – meu único filho não nasceu aqui. Mas é tão ou mais carioca do que eu: sou paulistana que veio para cá com dois anos, ele recifense que veio bebê de três meses...
Há muito sinto os horrores que têm feito com o Rio. Parece uma disputa: qual o administrador que mais vai enfear a cidade? Quem será o gênio que vai conseguir esconder para sempre a beleza do Rio? Qual deles tapará o tal poente que arromba a retina, ou conseguirá que o Cristo feche os braços sobre a Guanabara***?
Pior: qual deles conseguirá nos marcar como o tipo do brasileiro do qual o estrangeiro deve fugir? Ou melhor: qual deles, ao destruir nossas belezas, deixará à mostra, em toda a sua pequenez, o espírito fraco do político carioca e o péssimo eleitor que somos e aí, finalmente, reagiremos?
Dois exemplos, dois momentos diferentes, dois seres opostos em tudo, mas com um traço comum: o desrespeito ao eleitor.
Será que o ex-deputado Indio da Costa não percebeu que sua desculpa em não enfrentar o bafômetro era um desrespeito conosco? Uma taça de vinho no almoço, trabalho a tarde inteira e às 11 da noite o bafômetro acusaria alto teor alcoólico em seu sangue?
Será que o governador Sergio Cabral acreditou, por um minuto sequer, que ia ser possível esconder que ele estava em Porto Seguro no momento da tragédia que feriu seu filho? Será que ele acha que suas ligações com empreiteiros fazem parte do pacote que o eleitor deve engolir? Será que ele acha que nós acreditamos que Eike Batista seria seu amigo fraterno caso ele não fosse governador do Rio?
Como disse acima, são dois exemplos diferentes em tudo. Ou quase tudo: têm em comum, infelizmente, a falta de respeito conosco, o eleitor, o contribuinte, o cidadão.

Valsa de uma cidade, Ismael Neto e Antonio Maria 
** Carioca, Chico Buarque 
*** Samba do avião, Tom Jobim

***

Leia também:
- PSDB liga aluguel de Palocci a fraude e pede investigação
- WikiLeaks divulgará novos dados sobre o Brasil na 2a
- Depois dos aeroportos, Dilma vai privatizar os portos
- Polícia Federal investiga onda de ataques virtuais
- FHC manterá Tomás como seu filho
- Memórias do Caso FHC e Míriam Dutra


sexta-feira, 24 de junho de 2011

Mapa da miséria e da desigualdade econômica no Brasil

Via Estadão
Por Carlos Lemos, Daniel Lima, Renata Aguiar,
Luciana Nunes Leal e José Roberto de Toledo
18.06.2011


Dados do Censo 2010, que balizaram ações do Brasil sem Miséria, principal programa social da gestão de Dilma Rousseff, detalham onde vivem 8,5% dos brasileiros com renda familiar de até R$ 70




AQUI!



ONU põe Brasil sob suspeita de tortura e visitará cadeias e unidades para jovens

Via Estadão
Por Jamil Chade
23.06.2011

Missão promete ser dura com as autoridades, já que não é a 1º vez que investigação é feita

A Organização das Nações Unidas (ONU) fará a maior inspeção internacional já realizada nas prisões brasileiras para avaliar sérias denúncias sobre o uso da tortura no País. Segundo informações reveladas ao 'Estado' com exclusividade, a missão recebeu evidências de ONGs e especialistas apontando para violações aos direitos humanos em centros de detenção provisória, prisões e nas unidades que cuidam de jovens infratores em vários Estados.


Não é a primeira vez que a tortura no Brasil é alvo de investigação na ONU e a missão promete ser dura com as autoridades. Os locais de visita estão sendo mantidas em sigilo para que o grupo de inspetores faça visitas de surpresa aos locais considerados críticos, impedindo que as autoridades “preparem” as prisões e “limpem” eventuais problemas. Também será a primeira vez que a tortura será investigada em unidades para jovens - como a antiga Febem. Continua


Leia também:
- Brasil é a principal rota da cocaína enviada à Europa
- Ana de Hollanda abre nova polêmica


quinta-feira, 23 de junho de 2011

Nelson Gonçalves, nocautes e sucessos

Via Cultura Brasil - 78 RPM
Apresentado originalmente na RCB em 19 de junho de 2011
Apresentação: Roberta Martinelli
Produção: Eduardo Weber






AQUI!




Acusado de corrupção, prefeito de Senador Pompeu-CE foge em ônibus junto com funcionários da Prefeitura

Via Estadão
Por Lauriberto Braga
22.06.2011


FORTALEZA - O prefeito de Senador Pompeu, no Ceará, Antônio Teixeira de Oliveira (PT), está foragido desde o último domingo, 19, quando deixou a cidade em um ônibus alugado levando outros 36 suspeitos de corrupção. A Justiça cearense fez o pedido de prisão preventiva deles, mas até agora somente um funcionário da Prefeitura foi preso.

O prefeito, vice-prefeito, secretários e assessores são acusados pelo desembargador Darival Bezerra de fraude em licitações, desvio de dinheiro público, envolvimento em crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, falsidade ideológica, peculato e formação de quadrilha. Além da prisão, o magistrado determinou o afastamento de Antônio Teixeira de Oliveira, do vice Luís Flávio Mendes de Carvalho, e do vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Tárcido Francisco de Lima Baia. Continua


Veja também:
- Falha em site do Santander expõe dados pessoais de usuários
- Homofobia na escola cresce 160% em SP
- MPF apura uso da FAB no traslado de corpos para RJ
- Em meio a tragédia, Cabral terá que dar explicações
- ‘Deus me impingiu a decidir’, diz o juiz anti-união gay

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Famílias removidas para obras da Copa e das Olimpíadas protestam em audiência pública

Via EcoDebate
Por Vladimir Platonow, da Agência Brasil
22.06.2011

As remoções de famílias para dar espaço às obras da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016 estão gerando polêmica e protestos. Os problemas foram tornados públicos ontem (21), durante audiência no Ministério Público Federal (MPF). Diversos representantes comunitários reclamaram contra a forma que a prefeitura do Rio estaria fazendo as desapropriações dos imóveis, sem maior diálogo com os moradores.

A líder comunitária Érika Rocha dos Santos relatou problemas que estariam ocorrendo com algumas comunidades, transferidas para longe dos locais de origem. Ela faz parte do Comitê Popular da Copa e da Olimpíada, entidade criada para defender os moradores que estão sendo removidos para dar lugar às obras dos eventos esportivos. “Nós queremos informações e garantia de participação nos projetos. Queremos saber com antecedência para onde vamos e termos um direito a uma indenização prévia e justa”, afirmou Érika.

Entre as principais obras citadas na audiência pública a Transoeste, via expressa que ligará a zona oeste à Barra da Tijuca, e a Transcarioca, que ligará a zona norte e o Aeroporto Internacional Tom Jobim à Barra. As duas vias atravessam diversos bairros e forçarão a desapropriação de centenas de imóveis em seu trajeto.

O líder comunitário José Jorge Santos de Oliveira, que mora na comunidade Vila Recreio 2, no Recreio dos Bandeirantes, e trabalha como jardineiro na região, reclamou que a prefeitura quer realocá-lo em uma comunidade distante 40 quilômetros, o que praticamente inviabilizará seu emprego.

“A gente quer ser reassentado num raio máximo de 7 quilômetros, sem inviabilizar a nossa escola, nosso trabalho, o tratamento no posto de saúde e o nosso convívio social. O que acontece hoje é que nós estamos sendo removidos brutalmente. O prazo se esgota, chegam com tropa de choque e nos empurram para fora”, reclamou José Jorge.

A reclamação dos moradores foi endossada pelo subprocurador-geral de Justiça do estado, Leonardo Chaves, que disse haver alternativas que possibilitam a realocação das comunidades em áreas próximas, evitando que sejam transferidas para longe. “As pessoas devem ser alocadas em locais próximos. Não com essa política bárbara da prefeitura, de querer tirar famílias estabelecidas há 40 anos e jogá-las para lugares a 40 ou 60 quilômetros de distância, longe de seus vínculos históricos”, disse o procurador. Continua


Leia também:
Só Jesus salva Copa no Brasil, diz deputado Romário



Cresce evasão em universidade paga de SP

JC e-mail 4284, de 21 de Junho de 2011.

Cresce evasão em universidade paga de SP


Na região metropolitana paulista, um em cada quatro estudantes desistiu do curso.

Um em cada quatro alunos no ensino superior privado desistiu do curso na região metropolitana de SP, aponta estudo das próprias instituições a ser divulgado hoje.

A taxa de evasão, de 27%, representa um aumento de 14% entre 2008 e 2009 (último período com dados disponíveis). Essa é a maior proporção de desistência registrada na década.

No mesmo período, a evasão nas instituições públicas chegou a ter queda. Para as universidades pagas, o crescimento da desistência está ligado à chegada dos alunos das classes C e D ao ensino superior.

"Os estudantes vêm com dificuldades acadêmicas, não acompanham o primeiro semestre e desistem", afirma o diretor executivo do Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo), Rodrigo Capelato. Ele é o responsável pela pesquisa, feita a partir de dados do MEC (Ministério da Educação).

"As universidades ainda não sabem como reter esses alunos", completa Capelato. "Elas precisarão se reorganizar, criar setor que identifique as dificuldades financeiras e pedagógicas deles."

Para o pesquisador Oscar Hipólito, ex-diretor do Instituto de Física da USP-São Carlos, "o estudante desiste ao perceber que o custo com as mensalidades e a manutenção não valem o que a universidade oferece".

Insatisfação - Hipólito verificou nos dados do MEC que houve 878 mil inscritos para 656 mil vagas nos vestibulares das instituições privadas da região. Mas 380 mil postos não foram preenchidos e 187 mil que estavam matriculados abandonaram o curso.

"Há gente que quer estudar, mas está insatisfeita com as escolas", afirma Hipólito, hoje consultor do Instituto Lobo.

Membro da Hoper Educação (da área de gestão universitária), Romário Davel afirma que o aumento da evasão está ligado ao crescimento de matrículas nos cursos de engenharia. "Por ter conteúdo pesado de exatas, tradicionalmente a evasão na área é alta."

(Folha de São Paulo)

Governo gasta R$ 872 mil em ‘treinamento de mídia’

Via blog do Josias de Souza
21.06.2011




A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República abriu licitação para contratar empresa especializada em treinamento de mídia.

Algo como 160 autoridades –entre ministros e ocupantes de cargos de segundo escalão— terão aulas de como falar com jornalistas.

Estima-se que as lições custarão à Viúva R$ 872 mil. Dinheiro jogado no lixo, suspeita o signatário do blog.

Um pedaço da chamada mídia, por amistosa, engole tudo o que ouve. Quanto à imprensa que imprensa, interessa-se mais pelo conteúdo do que pela forma.

De nada adianta 'aprender a falar' se não tiver o que dizer. A venda de abobrinhas dispensa especialização.

Leia também:

- Mercadante fala no Senado sobre caso dos aloprados
- Em lista de 9, Brasil investe menos na preservação por hectare


terça-feira, 21 de junho de 2011

Para ver Carter, d. Paulo Evaristo Arns driblou igreja e governo

Via Estadão
Por Jamil Chade
20.06.2011

Papéis revelam como o cardeal e o presidente dos EUA se encontraram à revelia dos militares

GENEBRA - Jimmy Carter, presidente dos Estados Unidos entre 1977 e 1981, manteve amplo contato com dissidentes brasileiros durante o regime militar e buscou formas de se reunir com vozes contrárias ao governo. É o que revelam documentos que estavam guardados pelo Conselho Mundial de Igrejas, em Genebra. Um desses dissidentes era d. Paulo Evaristo Arns, cardeal-arcebispo de São Paulo. Cartas e conversas entre os dois revelam o objetivo mútuo de forçar o regime a se abrir. Continua


Pesquisadores brasileiros criam método de identificar eletronicamente várias espécies vegetais

JC e-mail 4283, de 20 de Junho de 2011.

Acredite, árvores têm impressão digital


Pesquisadores brasileiros criam método de identificar eletronicamente várias espécies vegetais.

Mogno ou andiroba? Cedro ou talvez curipixá? A dúvida na identificação das espécies comerciais madeireiras, analisadas apenas visualmente pelos peritos, resultou ao longo das décadas em milhares de toneladas de toras exportadas ilegalmente da Amazônia para diversas partes do mundo. O problema tem tudo para ser solucionado, quando a fiscalização ambiental levar a campo uma nova e poderosa arma contra o comércio clandestino: pistolas que lançam feixes de luz na madeira para a leitura eletrônica de seus componentes químicos, revelando a "impressão digital" e o nome certo daquela espécie vegetal.

Os aparelhos portáteis, que devem ser importados pelo governo federal ao custo de € 21 mil cada, serão calibrados a partir de uma tecnologia inédita desenvolvida no Laboratório de Produtos Florestais, do Serviço Florestal Brasileiro (FSB), em Brasília.

"Pela primeira vez no mundo, a espectroscopia - técnica que mede a absorção de energia luminosa pelos materiais - é aplicada em madeira tropical", afirma a pesquisadora Tereza Cristina Pastore. O método foi publicado neste ano pela equipe brasileira na revista científica da International Association of Wood Anatomists, com foco na identificação do mogno.

A espécie tem comercialização controlada no mundo, figurando no Anexo 2 da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Silvestres (Cites). No Brasil, só pode ser explorado mediante plano de manejo florestal para a redução de impactos e toda atividade econômica envolvendo a espécie é obrigatoriamente acompanhada pelo Comitê Técnico Científico, do qual participam centros de pesquisa, governo e ONGs. Estima-se que antes das normas, utilizadas desde 2003, foram derrubadas na Amazônia 2 milhões de árvores dessa espécie em 30 anos. Continua


domingo, 19 de junho de 2011

A luta secreta de D. Paulo Evaristo Arns

Via Estadão
Por Jamil Chade
19.06.2011


Documentos inéditos obtidos pelo 'Estado' em Genebra revelam como o cardeal e a Igreja combateram a ditadura militar

No auge da violência promovida pelo governo militar, parte da Igreja e centenas de líderes religiosos no Brasil passaram a ser alvo da repressão. Documentos guardados há décadas em Genebra obtidos pelo Estado revelam como o cardeal d. Paulo Evaristo Arns liderou um lobby internacional, coletou fundos de forma sigilosa e manteve encontros com líderes no exterior para alertar sobre as violações aos direitos humanos no Brasil.

A atuação do arcebispo de São Paulo mobilizou uma rede de informantes, financiadores e apoiadores secretos pelo mundo. Dentro do País, os documentos mostram que ele e seus aliados organizaram manifestações, incentivaram líderes operários e pagaram despesas das famílias dos grevistas no ABC em 1980.

Relatórios, testemunhos, cartas, informações de dissidentes e dezenas de acusações fazem parte de três caixas de documentos entregues ao Brasil na terça-feira, para que possam ser estudados e eventualmente, como espera a ONU, sirvam de base para processos contra autores de crimes contra a humanidade. Os documentos originais foram mantidos no Conselho Mundial de Igrejas, em Genebra. O Estado teve acesso às mais de 3 mil páginas e, nos próximos dias, publicará parte do conteúdo que está nas caixas entregues à Justiça no Brasil. Continua

EUA enviam americanos para novas oportunidades no Brasil

Jornal Nacional
18.06.2011







Corda Bamba

Via blog do Noblat
Por Cristovam Buarque
18.06.2011


Em vários locais, a juventude está indo às praças; no mundo árabe, lutando pela democracia, acampados nas praças, como a Tahrir, no Egito; nos países europeus, por emprego, como na Praça Catalunha, em Barcelona, e no Portal Del Sol, em Madrid.

Tanto no mundo democrático da Europa, quanto no Egito, sem democracia, a juventude está carente de mudanças, descontente com os rumos da sociedade em que vive. Seja por falta de democracia, de emprego, de paz, de lazer ou de cultura.

No Brasil isso não está acontecendo. Aparentemente, nossos jovens estão contentes, mas, na verdade, eles não percebem a corda bamba por onde caminham ao longo da vida.

A infância, a adolescência e a juventude brasileira caminham sobre uma corda bamba, da qual milhões vão caindo antes mesmo de chegar à idade adulta.

Logo no início da vida, crianças caem da corda bamba por falta de uma UTI infantil ou porque as mães são desprezadas pelos pais e terminam abandonando o recém-nascido.

Milhões de crianças, que sobrevivem às primeiras horas de vida, continuam na corda bamba por falta de comida, de brinquedos, de estímulos educacionais, sem escolas maternais e sem o acompanhamento de mães preparadas ou de creches com qualidade. Caem da corda antes mesmo de começarem a caminhar.

Das que sobrevivem aos primeiros anos, milhões nem ao menos conseguem chegar à escola. Depois de caminhar alguns anos na corda caem logo depois, por não conseguirem entrar na escola, ficarem sem o desenvolvimento intelectual necessário e seguirem na vida sem as ferramentas básicas necessárias à vida moderna, tais como, emprego, renda e acesso aos serviços essenciais.

Mesmo as que entram na escola, continuam caminhando sobre a corda bamba. A pobreza das famílias e a má qualidade da escola expulsam a maioria delas antes mesmo do final do Ensino Médio. São derrubadas da corda, jogadas no chão, sem alternativas.

Das que concluem o Ensino Médio, mais da metade não teve um ensino de qualidade e, por isso, não entrará no Ensino Superior, nem em um curso profissionalizante competente, ou entrará, mas abandonará o curso por incapacidade de segui-lo até o final.

Pode até obter um diploma, porém sem conhecimento superior e ficará sem emprego de nível e renda superiores.
Ao longo de todo esse tempo, e mesmo depois, essas crianças, adolescentes e jovens estarão em uma corda bamba que ameaça derrubá-las pela morte violenta antes do tempo, pela droga que age como o motor do balanço da corda por onde caminham os jovens.

Um amigo, uma decepção, uma cobrança, o simples trago em um cigarro errado ou num copo de bebida pode empurrar o jovem para a queda com uma pequena chance de recuperação.

Mesmo os que não caem por força do empurrão das drogas, caem pela ociosidade, sem escola e sem emprego.

Mas não é apenas a escola sem qualidade e a falta de renda da família que derrubam crianças, os adolescentes e jovens de renda média e alta também caminham por uma corda bamba, pela falta de atividades e por causa de uma escola aparentemente boa, em comparação com as péssimas. Ou porque também correm o risco do consumo de drogas ou da droga do consumismo.

Move a corda também à alienação da voracidade do superconsumo para aqueles que aparentemente chegaram ao outro lado, mas vivem sacrificando a vida para o enriquecimento sem valor existencial.

E quase sempre se endividando, seja pela dívida consigo mesmo, por não atender aos desejos de consumo de luxo, seja pelo endividamento com os bancos para poder comprar o luxo que desejam. Endividam-se pelos desejos de compras não realizadas ou com os bancos pelo financiamento para realizá-los.

Concorre para mover a corda, a corrupção na política. Não apenas pelo desperdício de recursos públicos que vão para os bolsos de alguns, ao invés de ir para as políticas públicas, com investimentos para os jovens. Pesa também a decepção e a alienação que excluem os jovens da participação política.

No Brasil, atravessar os anos antes da vida adulta é caminhar sobre uma corda bamba, balançando constantemente diante da omissão do setor público, da desarticulação das famílias, da necessidade do consumo, da violência da droga e, sobretudo, por falta do estável terreno da educação de qualidade assegurada a todos.


Cristovam Buarque é professor da Universidade de Brasília e senador pelo PDT/DF

fonte


Leia também:
- Mais da metade dos trabalhadores com curso superior só conseguem vaga de nível médio
- A calcinha da Luluzinha
- Las Madres de Mayo no son intocables


sábado, 18 de junho de 2011

ALÔ, ALÔ, CAIPIRADA!



Meus amores,

vejam que maravilha as músicas desta página:
Noites de junho - 78RPM

A trilha sonora exata da minha infância.

Viva a caipirice,
que não é vendida em supermercados,
nem em lojas especializadas.

Abração a todos,
caipiras, ou não!

VIVA SÃO JOÃO!!!
VIVA SÃO PEDRO!!!
VIVA SANTO ANTÔNIO!!!!
VIVA A VILA TIBÉRIO!!!!
VIVA A DONA BÉLIA CHIARELLI!!!
VIVA O SEU DOMINGOS CHIARELLI!!!
VIVA A FEFÉ, A LÉ, O TAL, O DEMA..., E A DIDI, É CLARO!!!


Adelidia Chiarelli



Mujeres que cambian el mundo: Honorine Bunyole, Congo

No El País:





Aqui!



Cirurgias de aneurisma estão suspensas

Via blog do Noblat
18.06.2011


Felipe Oda, Jornal da Tarde

O rosto da cozinheira Emília Alves Soares, de 55 anos, está formigando. É com a fala embolada que ela conta à reportagem sobre o cancelamento da cirurgia de aneurisma cerebral pela qual deveria ter passado na último dia 3, no Hospital das Clínicas.

A paciente faz parte das centenas de pessoas que enfrentam a paralisação das cirurgias endovasculares eletivas para o tratamento da doença no País, suspensas porque o Ministério da Saúde reduziu o valor destinado à compra do material usado nesse tipo de procedimento.

Apesar dos sintomas, casos como o de Emília têm sido tratados como eletivos há três meses nos hospitais brasileiros. Por isso, ela foi orientada a voltar para casa e a retornar apenas se houvesse sangramentos. Quando isso ocorre, significa que o aneurisma já se rompeu, situação que provoca a morte imediata de 40% dos pacientes não operados, segundo a Sociedade Brasileira de Neurorradiologia Diagnóstica e Terapêutica (SBNRDT).

Dos sobreviventes, metade fica permanentemente incapaz para trabalhar. “Estou entregue à sorte”, lamenta Emília.

Outra opção à cirurgia endovascular, minimamente invasiva, é passar pelo tratamento tradicional, com abertura do crânio, considerado ultrapassado e mais arriscado por grande parte dos médicos. Um dos problemas associados a essa técnica é a maior possibilidade de reincidência. Emília, por exemplo, já passou por essa técnica e, depois de oito meses, foi diagnosticada com aneurisma outra vez.

O problema com o material começou em 16 de dezembro de 2010, quando o Ministério da Saúde publicou a Portaria nº694, que reduziu, inicialmente, de R$ 2.230 para R$ 1.100 o valor pago para cada espiral de platina usado na cirurgia. Hoje, o valor está em R$ 1.350. São necessários de cinco a 12 espirais por procedimento – a operação pode chegar, portanto, a cerca de R$ 30 mil.

Leia mais em Cirurgias de aneurisma estão suspensas


sexta-feira, 17 de junho de 2011

Cuando el delito es ser mujer

No El País
15.06.2011:



AQUI!



Sigilo em orçamentos da Copa é 'escandolasamente absurdo'

Via blog do Noblat
16.06.2011


Carolina Brígido, O Globo

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, considerou "escandalosamente absurda" a decisão de manter em sigilo o orçamento de algumas obras da Copa de 2014. A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na quarta-feira e integra a medida provisória (MP) que simplifica o processo de licitação para obras da Copa e das Olimpíadas no Brasil - esta última, marcada para 2016.

- Desconheço detalhes da norma, mas a serem procedentes as matérias é uma coisa para pouco dizer escandalosamente absurda. Você não pode ter despesa pública protegida por sigilo. Vi menção que haveria previsão de órgãos de controle terem notícia (dos gastos). Como é que a sociedade pode ser privada do acesso a informações relacionadas a despesa pública? - questionou o procurador.

Na avaliação de Gurgel, o projeto é uma forma de tentar acelerar as obras da Copa sem obedecer aos trâmites, muitas vezes demorados, previstos na Lei de Licitações. Segundo o procurador, esse tipo de artifício pode ser considerado ilegal no futuro, em eventual julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele lembrou que, o procedimento licitatório "é uma exigência" no poder público.

Leia mais em Procurador-geral diz que manter em sigilo orçamentos da Copa é 'escandolasamente absurdo'


Leia também:
Gurgel: segredo para orçamento de obras é ‘absurdo’

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Vídeos feitos por Bombeiros do RJ em confronto com a PM

Via blog do Noblat
Enviado por Erich Decat
15.6.2011



A seqüência de vídeos inéditos a que o blog teve acesso foi gravada por integrantes do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiros durante as manifestações por melhores condições de trabalho ocorridas no início do mês.

O material foi entregue ao deputado delegado Protógenes (PCdoB-SP) que foi ao Quartel General dos Bombeiros no Rio três dias depois de iniciado o conflito.

Segundo o deputado, o material foi encaminhado ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e na próxima sexta-feira (17) deve ser distribuído entre os 512 deputados e 81 senadores.

“Para que se tenham ciência da crise institucional que ocorreu no Estado do Rio de Janeiro para que estejamos preparados para um próximo evento semelhante que por ventura possa ocorrer em outro Estado”, disse ao blog Protógenes.

Quanto aos vídeos:

1) É um apelo emocionado de um capitão do Corpo de Bombeiros para que a tropa de choque da PM não entrasse em confronto com a corporação no Quartel General da corporação no Rio.

2) Mostra os bombeiros, de joelhos, cantando o Hino Nacional frente ao grupamento da tropa de choque da PM, depois de os policiais terem tomado o QG.

3) Tropa de choque da PM lança bombas de gás contra manifestantes.Foi gravado de dentro do Quartel General da corporação no Rio.

4) Mostra os bombeiros detidos no quartel da PM, no bairro Neves de Niterói. Sem água e com banheiros imundos. No lugar ficaram detidos 439 bombeiros.


Vídeo 1




Vídeo 2




Vídeo 3




Vídeo 4




Estudo comprova elo entre abandono escolar e criminalidade

Via Agência USP de Notícias
Por Sandra O. Monteiro - sandra.monteiro@usp.br
14.06.2011

O abandono da escola aumenta a violência, bem como a violência na escola gera baixa no rendimento escolar. Estas conexões foram confirmadas pelo economista Evandro Camargos Teixeira em sua tese de doutorado apresentada no Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, em Piracicaba. O estudo foi realizado por meio de modelos econométricos, um conjunto de ferramentas e dados estatísticos que possibilitou analisar o vínculo entre educação e criminalidade.

O objetivo da pesquisa foi analisar a relação intrínseca entre criminalidade e educação de duas formas distintas: o impacto da educação defasada ou o abandono escolar sobre a criminalidade do ano posterior ao abandono, em todos os Estados brasileiros, no período 2001 a 2005; e também o efeito da violência sobre o desempenho escolar dos alunos do Estado de São Paulo em 2007.

A relação de todos os dados foi estabelecida em um banco de dados. A conclusão após o cálculo matemático no modelo econométrico foi de que a criminalidade aumentou em 51% em todos os Estados brasileiros, conjuntamente analisados, no período de 2001 a 2005, devido à evasão escolar.

“Não se pode afirmar que todos os alunos se tranformem em bandidos. Aliás, este não foi o foco do estudo”, afirma Teixeira. Segundo o pesquisador, quem deixa a escola tem tanto a possibilidade de virar membro de uma gangue, quanto de simplesmente estar excluído do mercado de trabalho formal. “O modelo apenas associou e assinalou a proporção direta de crescimento entre abandono defasado ou evasão escolar e taxas de homicídio, quando a evasão aumenta, os homicídios também crescem”. Continua

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Na Suécia, depósitos de lixo atômico debaixo do oceano

Jornal Nacional
14.06.2011








Comentário básico:





Mulheres estupradas em conflito líbio correm risco de ser mortas por 'honra’

Via BBC-Brasil
Por Pascale Harter
Da BBC News, na fronteira entre Líbia e Tunísia
15.06.2011

Mulheres e meninas líbias que engravidaram durante estupros correm o risco de serem assassinadas por suas próprias famílias, em atos chamados de “mortes honrosas”, advertem agentes humanitários.

Se ao redor do mundo o estupro é um tema sensível, na Líbia o tabu é ainda maior.

“Na Líbia, quando um estupro ocorre, parece que toda a cidade ou aldeia é considerada desonrada”, explica Arafat Jamal, da agência de refugiados da ONU (UNHCR).

Entidades beneficentes do país dizem estar recebendo relatos de que, no oeste do país, que é especialmente conservador, as forças do líder Muamar Khadafi teriam abusado sexualmente de meninas e mulheres diante de seus pais e irmãos.

“Serem vistas nuas e violentadas é algo pior do que a morte para elas”, afirma Hana Elgadi, parte de um grupo de voluntárias que oferecem atendimento médico e testes de HIV, além de pagar abortos a mulheres que foram estupradas durante os confrontos em curso na Líbia. “Esta é uma região onde as mulheres não saem de casa sem cobrir a face com um véu.” Continua


terça-feira, 14 de junho de 2011

Niède Guidon - Entrevista

Via VerCiência
05.06.2011




Watch live video from VerCiencia.TV on Justin.tv



Conheça:
Carta de uma arqueóloga do presente, por Niède Guidon


Comentário básico:

Foram quatro viagens ao Piauí
para visitar o
Parque Nacional Serra da Capivara.
Pretendo voltar.
O trabalho que Niède Guidon fez por lá?
Grandioso! Sensacional! Majestoso!
Só vendo pra crer.

Adelidia Chiarelli


A sociedade reage

JC e-mail 4278, de 13 de Junho de 2011.
A sociedade reage


Coluna de Ricardo Young na Folha de S. Paulo de hoje (13).

Nesta semana que passou, a presidente Dilma Rousseff prorrogou por 180 dias o decreto que obrigava os agricultores a averbar suas reservas legais com o objetivo de regularizar a situação de suas propriedades.

Sem a prorrogação, o prazo teria vencido dia 11 passado e imporia àqueles que não cumpriram a determinação legal pesadas multas e sanções que demonstrariam que o país não mais tergiversaria nas questões do desmatamento.

Pois bem, tudo sugere que mais uma vez serão anistiados os infratores. Enquanto aqui em Pindorama brinca-se em serviço e abusa-se da condição de País de maior extensão de florestas contínuas do planeta, a China, país devastado pela degradação ambiental e com riscos reais de desertificação, toca como prioridade nacional o projeto da "Grande Muralha Verde", que pretende reflorestar 356 mil km² de terra, até 2050.

O Brasil é o País com a maior reserva hídrica do planeta, mas algumas regiões, como o Sudeste, já sentem os problemas da escassez do recurso, com prejuízo para algumas lavouras.

Não é por acaso que a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) advertiu em relatório na última quinta-feira que a mudança climática terá graves consequências na disponibilidade de água destinada à produção de alimentos e na produtividade dos cultivos durante as próximas décadas.

A garantia da perenidade da água está na governança deste recurso. E a base desta governança é o Código Florestal, com as regras que definem APPs e RLs, recuperação e manejo. Todas essas normas protegem as nascentes e, com isso, a produção de água tão necessária para a agricultura.

Nossa maior commodity não é a soja, a carne ou o café. É a água! Somos os maiores exportadores de água do mundo. Assim, é exatamente para que se garanta o desenvolvimento agrário do País é que o compromisso com a recomposição das RLs e das APPs não pode ser adiado.

A maioria dos partidos e o governo federal parecem não entender essa correlação entre o Código Florestal e o desenvolvimento econômico. Como resposta, a sociedade civil organizada iniciou uma mobilização cujo arco de alianças não se vê desde as Diretas Já. O Comitê em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável do Brasil, instalado na última semana, promete dar muito, mas muito trabalho ao governo nos próximos meses.

Novas formas de fazer política começam a surgir e apontam esperança contra a estreiteza abissal que parece tomar conta das forças políticas hegemônicas do País.

fonte

Cai número de brasileiros preocupados com consumo consciente, mostra pesquisa

Via Agência Brasil
Por Carolina Gonçalves
13.06.2011

Rio de Janeiro - Apesar de ter mais informações sobre os problemas ambientais, o número de brasileiros que mantêm hábitos conscientes de consumo é cada vez menor, segundo pesquisa feita pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ). Para elaborar o levantamento, divulgado hoje (13), foram feitas entrevistas com mil consumidores de 70 cidades, incluindo nove regiões metropolitanas. Entre elas, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Belo Horizonte e Salvador.

De acordo com o levantamento, 57% dos entrevistados mantêm hábitos que levam em consideração a preservação do meio ambiente. Em 2007, quando a pesquisa foi realizada pela primeira vez, esse percentual era 65%. A queda desse grupo refletiu desde a escolha de produtos ecologicamente corretos nas gôndolas dos mercados, a preocupação em verificar se os produtos adquiridos eram geneticamente modificados ou transgênicos, até a reciclagem do lixo e a preocupação em fechar a torneira ao escovar os dentes.

A pesquisa também mostrou queda no número de brasileiros preocupados com o desperdício, revelando que, enquanto em 2007, 76% dos entrevistados verificavam os armários e a geladeira antes de fazer compras, este ano 72% disseram manter essa prática.

Para o economista Christian Travassos, da Fecomércio-RJ, em alguns casos, o custo mais alto de produtos ecologicamente corretos inibe a adesão de parte dos consumidores ao grupo do consumo consciente. “O órgão mais sensível do consumidor é o bolso e ele pondera, na hora do mercadinho, ‘o orgânico é muito legal e ético, mas não tenho condições de comprar’. Não é uma questão estática porque o governo tem condições de incentivar o ‘mais verde’ e ‘ecologicamente correto’ via dedução de impostos e deduções fiscais”, disse Travassos, lembrando que, “muitos hábitos não envolvem custos”, mas a boa vontade do consumidor, como a seleção de lixo dentro de casa e o reaproveitamento do óleo de cozinha.

A pesquisa mostrou ainda que os consumidores estão menos preocupados com a saúde. De acordo com o levantamento, 25% dos entrevistados deste ano afirmaram que não verificam a data de validade do produto comprado (em 2007, eram 22%) e 72% disseram que checavam se a embalagem do produto estava danificada. A preocupação com a embalagem foi revelada por 78% dos entrevistados há quatro anos. Continua

Leia também:
- Sarney apoia sigilo eterno de documentos históricos
- Senador diz que renuncia se passar lei anti-homofobia

segunda-feira, 13 de junho de 2011

A Terra, Hubble e o Sol





Por Joshua Culver, 6 anos - Naperville, IL - USA




fonte

Novo teste produzido na Fiocruz confirma o HIV em 20 minutos

Via Agência Fiocruz de Notícias
09.06.2011


Representação artística de vírus HIV

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos(Biomanguinhos/Fiocruz), responsável pela produção de vacinas, reativos e biofármacos, desenvolveu um exame que comprova o diagnóstico do HIV em cerca de 20 minutos. Atualmente, a espera pela confirmação pode chegar a um mês. O teste confirmatório imunoblot rápido DPP® HIV 1/2 será distribuído pelo Ministério da Saúde na rede pública a partir do segundo semestre de 2011. Com margem mínima de erro, o kit garante vários benefícios aos portadores da doença, que vão da agilidade no diagnóstico ao desempenho em termos de sensibilidade e especificidade.

Biomanguinhos investe em soluções inovadoras que representam grande avanço no diagnóstico da doença, como o teste rápido, que já é produzido desde 2004 pelo instituto. O novo teste confirmatório, além de substituir com vantagens o utilizado atualmente – que leva, no mínimo, um dia para fornecer o resultado –, tem custo cinco vezes menor. O registro foi concedido pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) em setembro de 2010.

O gerente do Programa de Desenvolvimento de Reativos de Biomanguinhos, Antônio Ferreira, ressalta que, quanto mais rápido se tem o diagnóstico, melhor pode ser o tratamento do soropositivo. “A tendência é, com o tempo, desenvolvermos testes ainda melhores, com resultados ainda mais rápidos, o que ajuda no tratamento”, explica. Continua

Crise que mudará hábitos de consumo já está a caminho, artigo de Thomas L. Friedman

Via EcoDebate
Estadão
Por Thomas L. Friedman, do The New York Times
13.06.2011

Você deve se perguntar se daqui a alguns anos nós olharemos para a primeira década do século XXI – quando preços dos alimentos dispararam, preços da energia subiram, a população mundial cresceu, tornados arrasaram cidades, inundações e secas estabeleceram recordes, populações foram desalojadas e governos ameaçados pela confluência de tudo isso – e nos perguntaremos: o que estávamos pensando?

A reportagem é de Thomas L. Friedman, do The New York Times e publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, 11-06-2011.

Como foi que não entramos em pânico quando havia evidências óbvias de ter cruzado algumas linhas vermelhas de crescimento/clima/recursos naturais/população todas de uma vez? “A única resposta pode ser a negação”, argumenta Paul Gilding, veterano empresário ambientalista australiano que descreve este momento em um livro intitulado The Great Disruption: Why the Climate Crisis Will Bring On the End of Shopping and the Birth of a New World (A grande ruptura: por que a crise climática trará o fim da compulsão da compra e o nascimento de um novo mundo, em tradução livre).

“Quando se está cercado por algo tão grande que requer que se mude tudo na maneira de pensar e ver o mundo, negar é a resposta natural. Mas quanto mais se espera, maior será a resposta requerida.” Gilding cita o trabalho da Global Footprint Network, uma aliança de cientistas que calcula quantos “planetas Terra” precisaremos para sustentar nossas taxas de crescimento correntes. O grupo mede quanta área de terra e água é necessária para produzir os recursos que consumimos e absorver nosso lixo, usando a tecnologia existente.

Estamos crescendo a uma taxa que está usando os recursos da Terra bem mais rapidamente do que eles podem ser sustentadamente repostos, de modo que estamos comendo o futuro. Neste momento, o crescimento global está usando o equivalente a 1,5 Terra. “Ter apenas um planeta torna esse problema realmente significativo”, diz Gilding. Isso não é ficção científica.

Quando estive no Iêmen, no ano passado, vi um caminhão-tanque entregando água na capital, Sanaa. Por quê? Porque Sanaa pode ser a primeira cidade grande do mundo a ficar sem água dentro de uma década. É isso que ocorre quando uma geração de um país vive a 150% de capacidade sustentável.

“Se você cortar mais árvores do que planta, ficará sem árvores”, escreve Gilding. “Se colocar nitrogênio adicional num sistema de água, mudará o tipo e a quantidade de vida que a água pode suportar. Se engrossar o lençol de gás carbônico da Terra, a Terra ficará mais quente. Se fizer todas essas e outras ao mesmo tempo, mudará a maneira como o sistema todo do planeta Terra se comporta, com impactos sociais, econômicos e na sustentação da vida. Isso não é especulação, é ciência do colegial.”

É também um assunto atual. “Nos milhares de anos de civilização da China, o conflito entre humanidade e natureza nunca foi tão grave como é hoje”, disse recentemente o ministro do Meio Ambiente da China, Zhou Shengxian. “A diminuição, deterioração e exaustão de recursos e o desequilíbrio do ambiente ecológico se tornaram gargalos e empecilhos graves ao desenvolvimento econômico e social da nação.” O que o ministro chinês está nos dizendo, diz Gilding, é que a Terra está cheia. Estamos usando agora tantos recursos e eliminando tanto lixo na Terra que atingimos uma espécie de limite. Continua

Erupção de vulcão no Chile volta a ganhar força e pode ampliar caos aéreo na região

Via UOL
12/06/2011 - 22h11 / Atualizada 13/06/2011

Uma nova nuvem de cinzas do complexo vulcânico Puyehue-Cordón Caulle, no Chile, já está sobre a Argentina e se move em direção ao Brasil, o que poderia causar transtornos aéreos piores do que aqueles vistos na última semana.

Autoridades argentinas alteraram as operações de voo nos aeroportos de Ezeiza e Aeroparque, em Buenos Aires, afetando inclusive conexões com São Paulo e Rio de Janeiro. Em território brasileiro, as cinzas podem provocar um novo fechamento de aeroportos na Região Sul já nos próximos dias.

Segundo comunicado da Administração Nacional de Aviação Civil da Argentina, as cinzas “voltaram a piorar as condições meteorológicas” no centro do país. “A partir das 21h haverá cinzas em suspensão sobre a zona central do país”, segue a nota, “que limitarão as operações aéreas.” Continua

domingo, 12 de junho de 2011

Poluentes do ar alteram células do sistema nervoso

Via Agência USP de Notícias
Por Júlio Bernardes - jubern@usp.br
09.06.2011

O efeito nocivo dos poluentes também atinge o sistema nervoso, revela pesquisa da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Por meio de experimentos com embriões de galinha, a bióloga Paula Bertacini observou que o material particulado presente no ar da cidade de São Paulo provoca alterações em células nervosas ainda em fase de desenvolvimento embrionário.

Material particulado fino é produzido por
 carros, ônibus, caminhões e motocicletas

A bióloga investigou o efeito do material particulado fino (PM 2.5) sobre o desenvolvimento embrionário do sistema nervoso. “Na região central da cidade de São Paulo, a principal fonte de emissão de poluentes atmosféricos é veicular, ou seja, carros, ônibus, caminhões e motocicletas”, diz Paula. A coleta de amostras de poluentes aconteceu próximo ao cruzamento da Avenida Doutor Arnaldo com a Rua Teodoro Sampaio, onde está localizada a FMUSP, local de intenso tráfego de veículos e próximo ao centro da cidade.

O experimento utilizou ovos embrionados de galinha produzidos especificamente para pesquisas. “Uma suspensão com material particulado fino foi injetada nos ovos”, conta a pesquisadora. “Posteriormente, foram analisados diversos aspectos morfológicos das células do cerebelo, órgão do sistema nervoso central cuja sensibilidade a substâncias tóxicas ambientais é descrita na literatura”. Continua

O Código Florestal e a Ciência

JC e-mail 4277, de 10 de Junho de 2011.
O Código Florestal e a Ciência


Artigo de Marcelino Pequeno publicado na Coluna Ciência Viva do jornal O Povo (5/6) e também enviado ao JCEmail.

Quem acompanhou as conturbadas últimas semanas políticas em Brasília está ciente que o mês de maio foi dominado pela votação do novo Código Florestal brasileiro, que acabou por ser aprovado na Câmara Federal na sessão do dia 24 de maio.

A polêmica está longe do fim, entretanto. Primeiro, porque agora o processo segue para o Senado que já sinalizou que vai requerer pelo menos quatro meses de discussão antes de o colocar em votação. Depois, porque ele não foi bem recebido nem pelo governo nem pela sociedade, e ainda arranhou a imagem do Brasil no contexto internacional no que diz respeito à capacidade de conservação de seus recursos naturais.

Em que a ciência pode contribuir para a elaboração do Código Florestal? O título desta coluna foi retirado de um documento de 124 páginas, em realidade um livro, organizado pelas duas maiores entidades científicas brasileiras: a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC). O Grupo de Trabalho reuniu doze cientistas, e colaboradores, das mais diversas áreas, e ainda profissionais de diversas instituições: Embrapa, Inpe, Inpa, Ibama, Confea, Contag, Sbef, SBS, Abraflor e Rebraf, além do Ministério do Meio Ambiente e as universidades: Unicamp, UFRJ, UFRPE, UFV e USP (por questão de espaço deixo para o leitor a tarefa de decifrar esta sopa de letrinhas, o Google ajuda muito nesta hora). Pode-se dizer que a fina flor da ciência nacional esteve empenhada na elaboração do documento que foi entregue em abril para a sociedade. O leitor pode ter acesso à íntegra do texto no site da SBPC: http://sbpcnet.org.br/site/asbpc/livrogtflorestal.php.

Em que o Código aprovado desagradou aos cientistas? Pela falta de embasamento científico. Os cientistas reconhecem a necessidade de atualização do Código vigente que é de 1965 e refletiu os conhecimentos da época. Nestes 45 anos, a ciência progrediu muito e o mundo constatou a "finitude" dos recursos naturais. Continua

Plano Nacional de Educação é ignorado pelo governo e patina no Congresso

Via Estadão
Por Rafael Moraes Moura
11.06.2011

Peça-chave para a política educacional dos próximos 20 anos, PNE vira alvo de disputa na Câmara, onde recebeu cerca de 3 mil emendas

Enviado ao Congresso Nacional no apagar das luzes do governo Lula, o Plano Nacional de Educação (PNE) tramita na Câmara sem o apoio explícito de dois atores fundamentais para sua aprovação: a presidente Dilma Rousseff, obcecada pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), e o ministro Fernando Haddad, que mais tem aparecido publicamente para esclarecer a série de trapalhadas da pasta.

O plano estabelece 10 diretrizes e 20 metas para serem cumpridas até o ano 2020. Ele prevê valorização do magistério público da educação básica, duplicação das matrículas da educação profissional técnica de nível médio, destinação dos recursos do Fundo Social do pré-sal para a área de ensino e ampliação do investimento público em educação até atingir 7% do Produto Interno Bruto do País (PIB). Até agora, o projeto de lei recebeu cerca de 3 mil emendas. Quando aprovado, seguirá para o Senado.

Apesar do impacto que pode causar ao planejamento estratégico do Ministério da Educação (MEC), a sensação no Congresso Nacional é de que o PNE não entrou na pauta do Palácio do Planalto. Até hoje a comissão especial para tratar do assunto não conseguiu marcar reunião com a presidente Dilma. Haddad também não apareceu para discutir o plano - o Estado apurou que o ministro remarcou três vezes a ida à Câmara, sob a alegação de problemas de agenda. De quebra, o MEC só encaminhou no mês passado as notas técnicas que justificam as metas traçadas no plano, consideradas pouco ambiciosas por entidades. Continua